segunda-feira, 28 de setembro de 2009

INPE Comemora a Oferta Gratuita de 1 Milhão de Imagens


Olá amigos!

Segue abaixo uma notícia postada hoje dia (28/09) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) informado que 1 milhão de imagens já foram distribuídas pelo instituto pela internet sem qualquer custo.

Duda Falcão

INPE atinge 1 Milhão de Imagens Distribuídas sem Custo
pela Internet. Mais de 70% são do satélite CBERS

28/09/2009

Pioneiro na oferta gratuita pela internet de dados de satélites de média resolução, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) ultrapassou nesta segunda-feira (28/9) a marca de um milhão de imagens distribuídas através do endereço http://www.dgi.inpe.br/CDSR/

A política de dados livres adotada pelo INPE fez do Brasil um exemplo mundial na área de Observação da Terra, tornando o Sensoriamento Remoto uma ferramenta de fácil acesso. O sucesso desta iniciativa pioneira levou outros países, como os Estados Unidos, a também disponibilizar gratuitamente dados orbitais de média resolução.

A distribuição gratuita através da internet começou em 28 de junho de 2004, com as imagens do CBERS-2 (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres). Logo após, o INPE tornou livre o acesso às imagens históricas dos satélites LANDSAT. Atualmente o Centro de Dados de Sensoriamento Remoto do Instituto, instalado em Cachoeira Paulista (SP), tem disponíveis imagens dos satélites CBERS-2 e 2B e Landsat 1, 2, 3, 5 e 7. As imagens de todos estes satélites são fornecidas sem custo para qualquer usuário do mundo.

Do total distribuído, o Programa CBERS é responsável por 716.889 imagens (destas, 460.480 são do satélite CBERS-2 e 256.409, do CBERS-2B). Da família LANDSAT foram distribuídas neste período 283.123 imagens (8.569 do Landsat-1; 16.247 do Landsat-2; 7.022 do Landsat-3; 230.783 do Landsat-5 e 20.502 do Landsat-7).

O Brasil possui um dos acervos de imagens de satélites mais antigos do mundo, pois recebe os dados LANDSAT desde 1973 através da estação do INPE em Cuiabá (MT). Lançado em 1972, o Landsat-1 foi o primeiro equipamento orbital de sensoriamento remoto de recursos terrestres, sendo o Brasil o terceiro país a receber este tipo de imagem, depois apenas dos Estados Unidos e Canadá.

Os países da América do Sul que estão na abrangência da estação de Cuiabá são os mais beneficiados e, em breve, os países da África também poderão contar com imagens gratuitas de seus territórios, pois já foram assinados memorandos para a recepção do satélite sino-brasileiro CBERS em estações de Ilhas Canárias, África do Sul e Egito, e está em negociação a instalação de uma antena no Gabão.

Dados CBERS

Responsável por mais de 70% das imagens distribuídas pelo INPE, o Programa CBERS foi decisivo para disseminar o uso do sensoriamento remoto orbital. Recentemente, o INPE promoveu uma pesquisa que avaliou o índice de satisfação dos usuários com a qualidade das imagens CBERS e a quantidade de pessoas contratadas para trabalhar com dados do satélite.

Os resultados da pesquisa deixaram evidente que a difusão gratuita de imagens de satélites ajudou a ampliar significativamente a comunidade de brasileiros que usa diretamente os resultados do programa espacial. Dos cerca de 15.000 usuários cadastrados, 3.470 responderam ao questionário e, destes, 1.100 afirmaram ter obtido trabalho por causa da disponibilidade das imagens CBERS. Outra revelação importante da pesquisa é que mais da metade declarou que não utilizava imagens de satélites antes de ter acesso às imagens CBERS do INPE.

"Ao estabelecer a sua política de dados livres o INPE pensou no impacto e na efetividade de seus resultados. Aposta ganha com louvor", declara o coordenador de Observação da Terra do Instituto, João Vianei Soares.

Responsável pelo estabelecimento da política de acesso livre, o diretor do INPE, Gilberto Câmara, considera que “a oferta gratuita dos dados permite um gerenciamento muito melhor dos recursos terrestres de nosso planeta, essencial em tempos de mudanças ambientais globais.”

Imagem1: Desmatamento na região de Altamira (PA),
registrado pelo satélite Landsat em 1996

Imagem2: Imagem registrada pelo satélite Landsat em 2006,
na mesma região de Altamira (PA) mostra a evolução do desmatamento

Imagem do satélite CBERS-2 da região de Porto Alegre (RS)
mostrando parte da Lagoa dos Patos


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Comentário: Parabéns ao INPE pela marca alcançada e principalmente pelo pioneirismo mundial na oferta gratuita pela internet de dados de satélites de média resolução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário