sábado, 30 de janeiro de 2010

Conselho da Câmara Participa de Reunião no Maranhão


Olá leitor!

Segue abaixo uma matéria publicada hoje (30/01) no jornal “O Estado do Maranhão” destacando que em reunião com membros do "Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica da Câmara Federal" o governador interino João Alberto disse que irá ajudar para solucionar os entraves à expansão do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA).

Duda Falcão

Avanços no CLA Estão Entre as
Prioridades do Governo do Estado

Em reunião com membros do Conselho de Altos Estudos e
Avaliação Tecnológica da Câmara Federal, governador interino
João Alberto disse que o Maranhão vai ajudar a sanar entraves
à expanção do Centro de Lançamento


O Estado do Maranhão
30/01/2010


De Jesus

Observado por Rodrigo Rollemberg, João Alberto
ressaltou compromisso do Estado com o CLA

Afim de fazer um panorama das atividades referentes ao Programa Espacial Brasileiro, principalmente em relação à importância do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) para o desenvolvimento das atividades do setor, integrantes do Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica da Câmara dos Deputados Federais estiveram ontem com o governador em exercício João Alberto de Sousa. Da reunião, participaram ainda secretários de Estado e representantes da binacional Alcântara Cyclone Space.

O encontro foi para identificar os entraves à expansão das atividades do CLA e, posteriormente, propor estratégias ao Governo Federal para a solução dos problemas. O resultado do estudo será divulgado em relatório no mês de abril e representa um dos levantamentos mais abrangentes do Programa Espacial Brasileiro. O documento será uma referência para apontar soluções e novas propostas para o setor.

Além da reunião, na quinta-feira, o conselho visitou o CLA, comunidades quilombolas e as agrovilas e percebeu que as comunidades esperam novas oportunidades de geração de empregos e qualificação da mão-de-obra local com o desenvolvimento do projeto. No entanto, as comunidades necessitam de incentivos para melhorar as técnicas agrícolas, atendimento médico, educação que, de certa forma, contribuirão para o diálogo e mais envolvimento das comunidades em relação ao projeto. “Ficamos surpresos com a aprovação do projeto por parte da comunidade, principalmente pelos mais jovens. A intenção da visita é articular as esferas do poder para abordar aspectos tecnológicos, sociais e culturais”, frisou o deputado federal Rodrigo Rollemberg (PSB/DF), relator do estudo.

Segundo o governador em exercício, João Alberto, discutir as burocracias, dificuldades de entendimentos sociais e avanços tecnológicos do Programa Espacial são prioritários, ainda mais em um período em que o Maranhão prepara-se para a instalação da empresa binacional Alcântara Cyclone Space (ACS), que, entre as atividades de lançamento de foguetes de grande porte, será responsável pela inserção do Brasil no mercado internacional do setor. “O presidente Lula, em conversas com a governadora Roseana Sarney, determinou que os assuntos de Alcântara são prioridades. O Governo do Estado deve contribuir para que todos os entraves, principalmente os problemas sociais, sejam resolvidos”, observou.

MAIS

O Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica, composto por 11 deputados, é um órgão técnico-consultivo vinculado à Mesa da Câmara dos Deputados, dedicado à análise, discussão e prospecção de temas de natureza estratégica para o país. Atua no desenvolvimento de estudos técnicos-científicos relacionados a programas, planos e ações governamentais na elaboração de proposições que resultem em benefícios à sociedade. Os resultados são consolidados em uma publicação editada pelo Conselho.


Dificuldades - Presente à reunião, o secretário de Planejamento, Gastão Vieira (PMDB/MA), destacou que um dos principais problemas relacionados a Alcântara consiste na burocracia e ainda na falta de uma articulação conjunta mais intensa entre as esferas dos poderes municipal, estadual e federal. Para ilustrar a afirmação, o secretário lembrou ainda da falta de liberação pela União dos recursos para a recuperação da MA-106, cujo convênio entre Governo Federal e Estadual foi assinado no mês de agosto. “A obra foi licitada, temos uma empresa vencedora, mas até agora não se sabe os motivos da União não ter depositado esse dinheiro nos cofres do Maranhão. Essa obra é fundamental para o transporte de maquinário pesado que as empresas lançadoras de foguetes necessitam e já estamos com um atraso de seis meses”, disse ele.

Outra questão, levantada pela secretária de Agricultura Familiar, Conceição Andrade, é priorizar a melhoria das condições de vida da população de Alcântara, a partir da conclusão de projetos que proporcionem o desenvolvimento integrado e sustentável. “A agricultura em Alcântara ainda é algo bastante complexo. O que a gente precisa é uma organização para aprovar um projeto concreto e viável que traga incentivos às comunidades, mas respeitando as questões sociais e culturais da sociedade”, completou.

Para o coordenador executivo do Conselho de Altos Estudos e Avanços Tecnológicos da Câmara dos Deputados Federais, Paulo Motta, o encontro foi muito produtivo, pois mostrou a preocupação do Governo do Estado em participar mais ativamente do programa e apontou bases para mediações com o Governo Federal. “Nós vamos concluir os estudos do Programa Espacial e, em seguida, iremos propor cursos e workshops para as comunidades e gestores públicos”, adiantou.


Fonte: Jornal O Estado do Maranhão - 30/01/2010

Comentário: O blog tem de reconhecer que se juntar os esforços dos ministros Sérgio Rezende, Nelson Jobim, do presidente da AEB, Carlos Ganem e do diretor-geral da ACS, Roberto Amaral, não chegam nem perto ao esforço que o deputado Rodrigo Rollemberg (deputado, continuo aguardando uma resposta do senhor ao meu e-mail) vem realizando em prol do cambaleante Programa Espacial Brasileiro. Apesar de reconhecermos seu esforço e do Conselho da Câmara (praticamente ele) não acreditamos que o mesmo venha obter os resultados que o PEB exige. No entanto, algo haverá de melhorar, mas temo que não o suficiente. Além do fator cultural que é um grande empecilho para um bom desempenho em qualquer área da gestão pública nesse país, existem forças contrarias dentro do próprio governo que por pura ignorância (não tem a mínima idéia do que significa um programa espacial) lutam fervorosamente para impedir o andamento do programa. Além disso, a falta de decisão política se realmente queremos ou não ter um programa espacial (já que o mesmo é caro, de logo prazo e não pode ser realizado sem o apoio da sociedade como um todo) é um dos fatores que dificultam a operacionalidade desse programa. A reclamação segundo a matéria do secretário de Planejamento do Maranhão, Gastão Vieira, da falta de liberação pela União dos recursos para a recuperação da MA-106, cujo convênio entre Governo Federal e Estadual foi assinado no mês de agosto, é uma clara demonstração do descaso do governo LULA para com o programa que o mesmo vive dizendo pela mídia que é estratégico para o país. Apesar de o blog ser terminante contra a instalação da empresa ACS nos moldes ao qual a mesma foi concebida, a instalação do CEA (Centro Espacial de Alcântara) é não só benéfica ao Programa Espacial Brasileiro, em todos os sentidos, como também extremamente necessária para o seu desenvolvimento. Uma vez mais agradeço a gentileza do leitor maranhense Edvaldo Coqueiro pelo envio da matéria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário