sábado, 31 de março de 2012

Coop. Espacial Brasil-Índia, Mais uma Novela Infrutífera

Olá leitor!

Durante a passagem da Presidente Dilma Rousseff por Nova Deli, foi divulgado dia 30/03 um "Comunicado Conjunto" entre a República Federativa do Brasil e a República da Índia que dentre tantos assuntos trata também da cooperação espacial entre os dois países.

Abaixo segue o trecho desse documento que trata dessas questões espaciais, e para aqueles leitores que quiserem ler o documento da integra cliquem aqui.

“Espaço

17. Os Líderes manifestaram o desejo de fortalecer a cooperação em pesquisa espacial em áreas tais como sensoriamento remoto, compartilhamento de dados e previsão do tempo. Nesse sentido, expressaram seu interesse no intercâmbio regular de especialistas. O Brasil reiterou o desejo de receber imagens do satélite indiano Resourcesat-2, dada a exitosa cooperação no recebimento de dados do Resourcesat-1 na Estação Terrestre de Cuiabá. Com relação ao Projeto do Satélite IBAS, os dois líderes manifestaram seu grande interesse em trabalhar juntos para o êxito da Reunião Técnica programada para realizar-se em Bangalore ainda em 2012.”

Como o leitor mesmo pode notar uma vez mais nada de concreto foi definido (enchimento de linguiça), a não ser o acerto de uma nova reunião técnica ainda em 2012 das diversas que já aconteceram desde que o governo Lula em abril de 2010 assinou esse acordo com a África do Sul e a Índia.

Recordo-me que na época a mídia sul-africana (provavelmente dos três o país mais interessado no projeto) divulgou o acordo com a ingênua previsão de que os dois satélites do programa seriam lançados em 2012 e 2014 respectivamente.

Ora leitor, é claro que com a participação brasileira no programa essa previsão estava mais para um exercício de ficção científica do que qualquer outra coisa, afinal, o histórico novelesco de acordos semelhantes assinados pelo Brasil com outras nações do mundo ou acabaram dando em nada (FBM com a França e o MAPSAR com Alemanha) ou viraram novela de décadas (Sabia-Mar com a Argentina), sendo o único acordo bem sucedido o acordo do Programa CBERS com a China, e mesmo assim após 24 anos da assinatura do acordo somente três satélite foram lançados, resultado esse bem aquém da média mundial.

Em outras palavras, o único acordo realmente bem sucedido assinado pelo Brasil na área espacial (talvez por não ter chamado a atenção e passado despercebido por décadas das 'víboras de plantão') foi o Acordo Brasil-Alemanha que, apesar de não prevê inicialmente o desenvolvimento de veículos lançadores de satélites é hoje sem dúvida a maior esperança brasileira nessa área.

Duda Falcão

Nenhum comentário:

Postar um comentário