segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

MCTI/INPE Assinam Contrato Com Empresa Estrangeira Relativo ao Projeto do Satélite Científico LATTES-1

Olá leitor!

Foi publicado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), no “Diário Oficial da União (DOU)” do dia 27/12, um “Extrato de Contrato relativo ao projeto do Satélite Científico Lattes-1. Veja abaixo o extrato em questão como publicado no DOU.

Duda Falcão

INSTITUTO NACIONAL DE
PESQUISAS ESPACIAIS

EXTRATO DE CONTRATO
Nº 880/2013 - UASG 240106

Nº Processo: 01340000984201363;
Concorrência Internacional Nº: 431/2013;
Contratante: MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO;
CPF Contratado: ESTRANGEIRO;
Contratado: ALTER TECHNOLOGY;
Objeto: Fornecimento de um conjunto de "partes" EEE - elétrica, eletrônica (& opto-) e eletromecânica - referente ao hardware dos instrumentos a serem embarcados no Satélite Lattes, conforme especificações técnicas constantes dos Anexos deste Instrumento. (R.D. Nº 01.14.088.0/2013);
Fundamento Legal: Lei nº 8.666/93;
Vigência: 27/12/2013 a 22/11/2014;
Valor Total: R$410.323,89;
Data de Assinatura: 26/12/2013.

(SICON - 26/12/2013) 240106-00001-2013NE000001

Esse extrato leitor é bastante curioso, pois em entrevista recente ao Blog Panorama Espacial do nosso companheiro André Mileski (veja aqui), o diretor do INPE, Dr. Leonel Perondi revelou:

Em relação ao satélite Lattes, de aplicações científicas, Perondi revelou que deve ser repensada. "A missão é extremamente desafiadora em razão da integração da plataforma e das cargas úteis." Existe a possibilidade de que o Lattes, surgido a partir da "fusão" dos projetos de microssatélites EQUARS e MIRAX, venha a ser dividida em duas plataformas menores. Esta estratégia, aliás, estaria alinhada à ideia do INPE de retomar as missões de pequenas plataformas, que poderiam ainda incluir missões com transpônderes para atender o SBCD”.

Pois é leitor, esta parece ser mais uma confirmação de que a única coisa certa no Programa Espacial Brasileiro é que não há nada certo, e as razões disto todos conhecem.


Fonte: Diário Oficial da União (DOU) - Seção 3 - pág. 19 - 27/12/2013

3 comentários:

  1. Uma notícia sobre o Cyclone 4: http://www.kyivpost.com/content/business/azovmash-to-supply-third-batch-of-special-equipment-for-cyclone-4-rocket-at-alcantara-space-center-in-2014-334448.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que o Petê tentará lançar esse troço no ano que vem? Só pra fazer média com o povão bocoió?

      Não duvido.... capaz de lançar antes mesmo das instalações estarem prontas.

      Excluir
  2. Essa notícia sobre o próximo lote de equipamentos, que o André Vitor destacou, mostra bem a situação que nos encontramos...

    Mostra por exemplo que a empresa Azovmash está muito satisfeita em fornecer equipamento de alta tecnologia fabricado lá para o Brasil.

    Por outro lado, essa empresa ucraniana, só "recentemente recebeu um certificado de competência da marinha russa" para produzir os tanques para o combustível super tóxico (eu não sei se a marinha russa é um órgão confiável para fornecer tal certificado).

    Então é isso, cá estamos nós, mais uma vez, como país produtor de minério e produtos agrícolas, importando equipamentos críticos de alta tecnologia
    e com uma certificação de qualidade no mínimo questionável. Torcendo para Deus ser brasileiro e que nada de pior aconteça quando esses tanques estiverem instalados e abastecidos (com combustível também importado), lá em Alcântara.

    É realmente o fim da picada !

    ResponderExcluir