sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Segundo Site Argentino o Lançamento do Foguete VEX-1 Falhou

Olá leitor!

Você está lembrado do foguete argentino VEX-1 (Veículo Experimental Nº 1) que estava se preparando para ser lançado?

Pois então, segundo o site argentino “Punta Indiowebhttp://puntaindioweb.com/el-cohete-despego-y-exploto.htm” o foguete que foi desenvolvido para testar tecnologias ligadas ao Sistema de Navegação do “Projeto TRONADOR II”, foi finalmente lançado na manhã do dia 26/02 da localidade de Punta Índio (aproximadamente uns 150 km de Buenos Aires) muito perto de Punta Piedras no Parque Costeira do Sul, uma reserva da biosfera que é reconhecida pela UNESCO.

Ainda segundo o site argentino, moradores locais informaram que o lançamento do foguete falhou, tendo o mesmo se elevado há apenas dois metros acima da plataforma de lançamento quando então explodiu.

Infelizmente até o momento não obtive confirmação sobre esta notícia, e fico no aguardo de que um de meus leitores argentinos possa confirmar esta informação.

Duda Falcão


Foguete argentino VEX-1.


Fonte: Formulado com informações do site http://puntaindioweb.com

Comentário: Aproveitamos para agradecer ao leitor paulista José Ildefonso por nos ter enviado esta notícia.

12 comentários:

  1. Se falhou realmente não se pode deixar abater,falhas em projetos de alta complexidade são normais e todos os países que entraram nessa empreitada já falharam,os argentinos podem dar a volta por cima.

    ResponderExcluir
  2. os engenheiros argentinos são bem criativos, mas o problema é que não se faz nada sem muito dinheiro. E o governo argentino é populista ao extremo, mais até que o PT, querem lançar foguetes mais para promoção do que pelo avanço tecnológico. Prova disso são as promessas totalmente furadas, como lançar o tronador em 2016, enquanto o Brasil, que já está há muito tempo pesquisando, só lança o VLS completo até 2018 com muita sorte.
    A AEB faz este mesmo papel populista aqui no Brasil, mas felizmente os engenheiros do CTA falam a verdade nua e crua nas entrevistas.
    Aliás, falando em entrevista, o Blog poderia fazer algumas com o pessoal do CTA para saber se o VLS sisnav voa este ano mesmo ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimado Oseias:

      Respecto a su comentario "os engenheiros argentinos são bem criativos, mas o problema é que não se faz nada sem muito dinheiro",
      Sepa usted que la CONAE ya recibió la partida presupuestaria (dinero) del proyecto Tornador de parte del ministerio de Planificación para los años 2014 y 2015.
      Lo que suceda mas allá del 2015 (año de elecciones presidenciales), nadie lo sabe, así que teniendo eso en cuenta, CONAE intentará avanzar todo lo posible en estos dos años.

      saludos

      Excluir
    2. Olá Oséias!

      Não creio que seja necessário fazer uma entrevista com o pessoal do DCTA para saber sobre o lançamento do VLS-1 VSISNAV em 2014, já que é certa a realização da "Operação Santa Bárbara I" (operação simulada de lançamento) esse ano e também que é o lançamento da "Operação Santa Bárbara II/ VLS-1 VSISNAV" não será mais realizada em 2014. tá ok?

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  3. Tem sido terrível! Imagina que muito possivelmente hoje uma grande área da região leste do Estado de Bs. As. esteja altamente poluída com hidracina, que é um composto fortemente cancerígeno. Graças a Deus no morreu ninguém na explosão. Este foi o terceiro ou quarto fracasso de um lançamento que acontece sucessivamente (T4000, cohete Centenario, VEX 1ª, e outros mais mantidos em segredo). Rápidamente, tudo o aparelho de propaganda estatal (entenda-se pequenos jornais, Telam, blog aviacionargentina.net e Zona Militar, além de outros mercenários) começaram a espalhar a versão de um ¨ sucesso relativo¨... rs rs rs rs! Na verdade o foguete teria apenas se mexido alguns centímetros (um metro?) el logo teria explodido!! Más acho que a gente jamáis saberá: hoje na Argentina é impossível encontrar informação credível... Falou galera!

    ResponderExcluir
  4. (versão em Espanhol) Fue terrible! Imaginen que posiblemente hoy una gran zona de la costa bonaerense pueda estar altamente contaminada con hidracina, que es un poderoso carcinógeno. Gracias a dios no murió nadie en la explosión. Este ha sido el tercer o cuarto fracaso consecutivo (T4000, cohete Centenario, VEX 1A, y otros más mantenidos en secreto). ¡Rápidamente, todo el sistema de propaganda política (aparato de desinformación: TELAM, blogs aeroespacioargentino.net y Zona Militar, junto a otros mercenarios mediáticos) comenzó a reportar versiones de que indican un ¨éxito relativo¨! Cuándo en realidad el cohete apenas si se levantó unos centímetros (hablan de un metro) y luego explotó!! De cualquier manera, será muy difícil saber que ocurrió en realidad. En mi pobre país hoy es imposible encontrar información creíble! Un abrazo desde Argentina. (Fredy, leitor argentino).

    ResponderExcluir
  5. Se o dinheiro é pouco lá como aqui por que, então, nós latinos não juntamos os nossos recursos?

    ResponderExcluir
  6. Estranhei muito não ter encontrado nenhuma notícia sobre esse acontecimento na mídia. Se o combustível é altamente tóxico, algo deveria ter sido noticiado, se bem que na área do ocorrido não sei se é muito habitado, mas de qualquer forma é muito estranho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenga en cuenta que es un cohete pequeño, con un par de toneladas de hidracina. No es el saturno V.
      El cohete falló efectivamente. Esa era una posibilidad de la cual CONAE estaba muy consciente.

      Excluir
    2. Todo lançamento, seja de um mero rojão de São João, está sujeito a falhas. O que é surpreendente é que a toxidade que carrega o VEX-1 não tenha virado tema de estudos profundos. Pelo que soube de algumas fontes, a área do lançamento está tomando de produtos absorvedores de produtos químicos tóxicos (sem entrar em detalhes, é um produto em forma de pó de cor laranja).

      Nem tudo são fores, e desenvolvimento espacial é isso aí. O que lamento foi que alguns argentinos (uma minoria, mas são pessoas esclarecidas) desdenhavam do programa espacial brasileiro e já contavam como ganha uma virtual "disputa" nesta área. Faltou humildade! Falta, agora, informações precisas, mas hora ou outra, a verdade aparecerá...

      Att.

      Excluir
  7. Prezado leo,

    Você não encontrou nada na media pq segundos após o fracasso no lançamento o governo argentino mobilizou todo seu aparelho de desinformação. Pior ainda! Imagina que para o evento só tinham sido convidados os jornais estatais e alguns jornalistas amigos, mas nenhum jornal ou TV principal!! Você imagina o lançamento do VLS sem a Globo,SBT, ou sem a Folha ou o Estadão?

    ResponderExcluir
  8. É de se lamentar que nos dias de hoje, projetos atuais de foguetes, tanto lá quanto aqui façam uso de combustíveis tão tóxicos de forma DESNECESSÁRIA, pois a tecnologia de combustíveis líquidos em foguetes tem soluções muito menos poluentes desde a década de 50 !!!

    E para piorar ainda mais, lá o centro de lançamento fica ao lado de um parque reserva de biosfera, enquanto aqui, se for concretizado o tenebroso projeto da ACS, eles vão lançar o trambolho tóxico sobre uma população de desvalidos e em direção ao oceano de onde muitos retiram os seus alimentos.

    São os absurdos dos "governos" populistas que tomaram o poder tanto lá quanto cá.

    Lamentável.

    ResponderExcluir