domingo, 28 de maio de 2017

Projeto da UFRJ Oferece Visitas a Laboratórios de Física a Alunos do Ensino Médio

Olá leitor!

A TV Brasil do Governo Federal exibiu dia 26/05 uma interessante reportagem sobre um projeto da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que está oferecendo visitas aos Laboratórios de Física desta universidade para Estudantes do Ensino Médio. Uma grande iniciativa desta universidade carioca e vale a pena conferir esta reportagem.


Aproveitamos para agradecer uma vez mais ao nosso incansável leitor Jahyr Jesus Brito pelo envio desta reportagem.

Duda Falcão

Governo do Maranhão Debate Com o ITA a Criação de Rede de Doutorado Profissional em Engenharia Aeroespacial

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada dia (26/05) no site da “Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) do Governo do Estado do Maranhão, destacando que  o governo deste estado esta discutiu em reunião com Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) a criação de uma Rede de Doutorado Profissional em Engenharia Aeroespacial.

Duda Falcão

Governo Debate Sobre Rede de Doutorado
Profissional em Engenharia Aeroespacial

SECTI
26/05/2017 -  1:34

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), fortalece cada vez mais o setor aeroespacial no Maranhão. Inicialmente, a primeira turma do Curso de Mestrado Profissional em Engenharia da Computação e Sistemas Aplicados à Engenharia Aeroespacial. Agora, outro passo importante: a discussão a respeito da criação da Rede de Doutorado Profissional em Engenharia Aeroespacial, que foi a pauta da reunião realizada na tarde desta quarta-feira (24). O dialogo está sendo estabelecido com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA).

Segundo o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação, Jhonatan Almada, essas ações são o cumprimento de uma meta do plano da SECTI, que prevê as principais ações para a ciência, tecnologia e inovação no Maranhão.

“Para a secretaria é um momento de congraçamento e de alegria, pois estamos enxergando um avanço concreto nesta área e agora em rede com a formação de quadros técnicos de pesquisadores que irão internalizar os possíveis ganhos que a base de Alcântara trará para o Estado”, disse o secretário.

Jhonatan Almada enfatizou ainda que o Maranhão, pela primeira vez, e de forma decisiva, contribui para a formação do quadro no setor espacial brasileiro e pretende com isso dar a sua contribuição em relação ao programa aeroespacial do país.

De acordo com o professor da UFMA Allan Kardec, a ação é muito significativa. “A Rede tem o foco em formar doutores interligados que inclui o Maranhão, Ceará e Rio Grande do Norte ao longo do desenvolvimento da iniciativa poderemos ampliar contando com a parceria de outros estados, mas hoje iniciamos a criação dessa rede. Esse também é um resultado da Escola de Altos Estudos no setor aeroespacial”, contou.

O professor Henrique Mariano, da UEMA, destacou que essa iniciativa só vem a somar. “Os cursos de pós-graduação em rede funcionam de maneira que todas as instituições que estão interligadas oferecem o mesmo produto. O corpo técnico é formado também pelos docentes das universidades que compõe o projeto, o que vai contribuir com a criação do doutorado profissional. É uma iniciativa maravilhosa, nós temos o mestrado nessa área, a graduação na UFMA, e isso contribui para formar pessoas para a área”, explicou.

Para Jarbas Silveira, professor do departamento de engenharia da informática da Universidade Federal do Ceará, é superimportante formar essa rede. “Esta rede se desenvolve com o apoio da SECTI, e com isso o Maranhão está como catalizador desse momento, discutir isso e executar é fundamental”, relatou.

Luiz Goes, professor do Instituto Tecnológico da Aeronáutica, reitera que a iniciativa é de grande relevância. “É um esforço conjunto para desenvolver o setor aeroespacial no Nordeste, a ação introduz muita sinergia e complementa as várias competências que são desenvolvidas nas universidades, agregando um fortalecimento maior a uma massa crítica para a realização de diversos projetos no setor das Forças Armadas e Centro de Lançamento de Alcântara”, reiterou o professor.

“Excelente oportunidade! Englobar todos em um grande projeto visando o desenvolvimento do aeroespacial. Os dois centros de lançamentos do Brasil estão situados no Nordeste, nada mais natural que os pesquisadores somem forças para produzir novos conhecimentos e haja a formação de uma nova geração de nessa área”, ressaltou Gilvan Luiz Borba, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Foto do encontro em que foi discutido a criação desta rede.

Fonte: Site da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) do Estado do Maranhão - http://www.secti.ma.gov.br

Comentário: Tá tudo muito bem, mas para formar novos profissionais para qual horizonte de eventos? Este que está ai, um programa que é uma tremenda piada e motivo de chacota da própria sociedade. Enfim... Gostaríamos de agradecer ao jovem Prof. Brehme de Mesquita do IFMA pelo envio dessa notícia.

Capital Rocket Team da UnB lança Campanha Crowdfunding Para Participar de Competição nos EUA

Olá leitor!

Logo da Equipe
A equipe “Capital Rocket Team” que é formada por estudantes de engenharia da Universidade de Brasília (UnB) lançou recentemente uma campanha de financiamento coletivo (Crowdfunding) com vistas à participação desta equipe na competição internacional “Spaceport America Cup (antiga IREC)”, a se realizar em junho próximo nos EUA.

Vamos lá gente, vamos ajudar a levantar recursos para que a primeira equipe do Centro-Oeste do país possa representar o Brasil nesta competição internacional de foguetes.

A equipe "Capital Rocket Team" durante o recente
Festival Nacional de Minifoguetes realizado em Curitiba-PR
.

Os interessados em ajudar podem acessar a campanha pelo link: https://www.kickante.com.br/campanhas/unb-na-competicao-internacional-de-foguete-irec

Duda Falcão

sábado, 27 de maio de 2017

Santos Recebe Maior Evento Sobre Sensoriamento Remoto, Tecnologias Espaciais e Geo Informação do País

Olá leitor!

Segue abaixo nota postada ontem (26/05) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que a cidade de Santos (SP) receberá o maior evento sobre Sensoriamento Remoto, Tecnologias Espaciais e Geo Informação do país.

Duda Falcão

Santos Recebe Maior Evento Sobre
Sensoriamento Remoto, Tecnologias
Espaciais e Geo Informação

Sexta-feira, 26 de Maio de 2017

O melhor em pesquisa, desenvolvimento tecnológico, ensino e política científica realizado no país e no mundo na área de sensoriamento remoto e suas aplicações será apresentado em Santos (SP), de 28 a 31 de maio, durante o XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR).

Promovido a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e pela Associação de Especialistas Latino americanos em Sensoriamento Remoto - SELPER Brasil, o SBSR é considerado o maior evento do país sobre tecnologias relacionadas a satélites e geo informação.

De segunda (29) a quarta-feira (31), serão apresentados mais de mil trabalhos distribuídos entre sessões orais e de pôster, além de 95 palestras com a participação de renomados pesquisadores de diversos países. Haverá sessões especiais sobre monitoramento agrícola, biofísica da vegetação tropical e nova geração de satélites ambientais.

A abertura do simpósio e a inauguração da exposição técnica, um espaço para estabelecer e fortalecer parcerias científicas e comerciais, acontecerão no domingo (28) às 19h30. Ainda durante o dia serão realizados cursos, de vários temas, ministrados por professores brasileiros e estrangeiros.

Especialmente no Brasil, um país de proporções continentais, o sensoriamento remoto é utilizado no levantamento de recursos naturais e no monitoramento do meio ambiente visando ao desenvolvimento econômico e social. A observação de grandes áreas com sensores embarcados em satélites é mais eficiente, rápida e barata, tornando o sensoriamento remoto a ferramenta ideal para monitorar desmatamentos, queimadas, a expansão das cidades, safras agrícolas, o nível de rios e reservatórios, entre outras aplicações.

Tecnologia

Governo, cientistas e empresas cada vez mais usam o sensoriamento remoto, tecnologia em que o Brasil é um dos pioneiros no mundo, por meio da atuação do INPE.

O lançamento do primeiro satélite para observação da Terra, o norte-americano Landsat-1, em 1972, proporcionou um salto nos estudos sobre meio ambiente e a dinâmica de ocupação e uso do solo. O Brasil foi o terceiro país a utilizar satélites para o sensoriamento remoto da Terra, logo após Estados Unidos e Canadá, ainda em 1973, quando a estação de recepção do INPE passou a processar os dados do Landsat-1.

Assim, há mais de quatro décadas o Instituto recebe, processa e distribui imagens que vêm permitindo o desenvolvimento de estudos e atividades de reconhecimento internacional, como os programas que monitoram o desmatamento na Amazônia e as queimadas em todo o país.

O INPE se prepara para lançar, em 2018, os satélites CBERS-4A, o sexto feito em parceria com a China, e o Amazonia-1, o primeiro totalmente desenvolvido pelo Brasil.

As imagens de satélites do INPE são oferecidas gratuitamente, pela internet, e beneficiam o sistema de gestão do território do próprio governo, a pesquisa nas universidades e o desenvolvimento das empresas privadas, que geram emprego e renda com tecnologia espacial.

As imagens e produtos derivados do INPE são utilizados em áreas como saúde, segurança pública, gerenciamento de desastres naturais e da biodiversidade.

Durante o XVIII SBSR, serão abordados temas como previsão agrícola, degradação de florestas, urbanização, poluição, saúde, mudanças climáticas, geologia, oceanografia, cartografia, sensores, processamento de imagens, meteorologia, uso e qualidade da água, VANTs, serviços e tecnologias espaciais, entre outros.

Mais informações e a programação completa do SBSR estão no site www.dsr.inpe.br/sbsr2017


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Prorrogada Validade de Concurso do INPE Para Tecnologista TJ01

Olá leitor!

Segue abaixo nota postada dia (25/05) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que o foi prorrogada validade de Concurso Para Tecnologista TJ01.

Duda Falcão

Prorrogada Validade de Concurso
Para Tecnologista TJ01

Quinta-feira, 25 de Maio de 2017

Portaria publicada nesta quinta-feira (25/05) no Diário Oficial da União (DOU) informa sobre a prorrogação por mais um ano, a partir de 29 de junho de 2017, do prazo de validade do concurso público da carreira de Desenvolvimento Tecnológico realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).


Exclusivamente para o cargo de código TJ01, a portaria está relacionada ao concurso para provimento de cargos efetivos de tecnologista instituído pelo Edital nº 2, do INPE, publicado no DOU em 7 de março de 2014.

Todas as informações sobre este concurso estão disponíveis no site do INPE: http://www.inpe.br/gestao/anuncios_oportunidades/concurso/2014/


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

CLA Participa de Workshop Sobre Tecnologia Aeroespacial

Olá leitor!

Veja abaixo uma nota postada ontem (26/04) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando que o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) participou de 22 a 24 de maio de um Workshop Sobre Tecnologia Aeroespacial promovido pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em parceria com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e o Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER).

Duda Falcão

ESPAÇO

CLA Participa de Workshop
Sobre Tecnologia Aeroespacial

Evento foi promovido pela Universidade Federal do Maranhão

Por Tenente Andreza Aarão
Agência Força Aérea
Edição Tenente Evellyn Abelha
Publicado: 26/05/2017 - 10:16h


O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) participou, de 22 a 24 de maio, de um workshop sobre Tecnologia Aeroespacial. O ciclo de apresentações, debates e mesas-redondas promovido pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em parceria com o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e o Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), reuniu discentes e docentes de ensino superior na área de tecnologia, com o objetivo de despertar o interesse dos estudantes para o setor aeroespacial brasileiro.

Durante três dias de atividades, especialistas abordaram temas como Modelagem Multifísica e Aplicações em Sensores e Atuadores Aeroespaciais, Estruturas Inteligentes e Aplicações Aeroespaciais, Programa Espacial Brasileiro, CLA e o Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE).

A denominada “Escola de Altos Estudos no Maranhão” surgiu da necessidade de investir os recursos que o estado oferece, visando à produção de ciência e pesquisa no contexto espacial, formando estudantes que futuramente possam suprir as necessidades do CLA, principalmente com a implantação do curso de Engenharia Aeroespacial no Maranhão.

Segundo o Coronel Engenheiro Luciano Valentim Rechiuti, Diretor do CLA, o workshop foi importante para fortalecer as linhas de pesquisas ligadas à área espacial no estado, para o desenvolvimento do País no quesito tecnologia, em atendimento não apenas ao CLA, mas também às demais organizações da Força Aérea Brasileira (FAB). Ainda na opinião do Diretor do CLA, o workshop foi uma grande oportunidade de integração entre setores do governo federal, estadual, indústria e academia (universidades) voltados para o setor espacial.


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

V Encontro de Escritores e Jornalistas de Aviação

Olá leitor!

Nos dias 2 e 3 junho próximo será promovido em São José dos Campos (SP) pela Associação dos Pioneiros e Veteranos da Embraer (APVE) o “V Encontro de Escritores e Jornalistas de Aviação”, tendo como objetivo trazer ao público em geral assuntos e debates que, até então, estavam restritos aos especialistas do setor aeroespacial.

Para tanto serão realizados palestras e painéis com experientes profissionais que irão explorar o espaço, falar sobre os pilares do desenvolvimento aeronáutico e mostrar, com exposição e demonstração de drones, como se dá o ensino de tecnologia nas universidades.

As mulheres terão a palavra neste evento para assim contar suas histórias como profissionais atuantes do setor aeroespacial.

No mesmo ambiente, as pessoas que fizeram a história aeroespacial brasileira e os profissionais que a preservam e a divulgam em seus livros e reportagens.

Embarque nesta viagem conosco. Daremos preferência de embarque para as famílias, estudantes e apaixonados por aviação, espaço, literatura, obras de arte e drones.

Cultura aeroespacial em debate. Faça seu check-in e embarque nesta viagem, a entrada é franca!

Mais informações ligue (12) 3925-5209

Duda Falcão

quinta-feira, 25 de maio de 2017

CLA Inicia Curso Para Operações de Lançamento de Veículos Espaciais

Olá leitor!

Veja abaixo uma nota postada ontem (24/04) no site da Força Aérea Brasileira (FAB), destacando que o Centro inicia curso para Operações de Lançamento de Veículos Espaciais.

Duda Falcão

INSTRUÇÃO

CLA Inicia Curso Para Operações de
Lançamento de Veículos Espaciais

Participantes receberão orientações para atuar com segurança
em atividades realizadas em Alcântara

Por Tenente Huxley Batista
Agência Força Aérea
Edição por Aspirante Aline Fuzisaki
Publicado: 24/05/2017 - 10:55h


O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) iniciou a 1ª Edição de 2017 do Curso de Preparação para Operações de Lançamento, módulo I, nesta semana. O CPOL I/2017 ocorre na organização militar da Força Aérea Brasileira (FAB) responsável pelo lançamento e rastreio de engenhos aeroespaciais, localizada no estado do Maranhão.

O objetivo é capacitar pessoal técnico a exercer com segurança atividades que envolvam o lançamento de veículos espaciais a partir do CLA. O curso também será usado como iniciação de novos operadores, colaboradores e clientes do Centro.


Na abertura do evento, o Coronel Luciano Valentim Rechiuti, Diretor do CLA, apresentou aos participantes a missão, infraestrutura atual, últimos avanços, principais operações e perspectivas. “O CLA tem, hoje, papel vital nos projetos voltados à área espacial. Todos eles passam ou passarão por Alcântara em algum momento. Nesse sentido, o Curso se torna uma ferramenta efetiva para a gestão do conhecimento, ao passo em que possibilita que colaboradores mais experientes transmitam suas competências e vivências aos recém-chegados que, nos próximos anos, assumirão funções estratégicas nas operações de lançamento”, explica.

De acordo com o cronograma do curso, os inscritos receberão instruções sobre tecnologia espacial, operações de lançamento, planejamento operacional, preparação e lançamento, segurança de superfície, sistema de localização, radares, segurança do trabalho, perspectivas da área espacial, sistema de telemedidas, trajetografia e sincronização, metrologia, meteorologia, segurança de voo espacial, gestão da qualidade e área patrimonial.

O Curso de Preparação para Operações de Lançamento (CPOL) é uma iniciativa do CLA. É composto por dois módulos (teórico ou universal e prático ou específico), sendo o segundo obrigatório para aqueles que estarão engajados nos setores operacionais do CLA.


A certificação oferecida pelo primeiro módulo é a de “colaborador qualificado” e a do segundo módulo, “operador da estação”. No segundo módulo, ainda a ser realizado, o participante irá se especializar em uma das estações operacionais do Centro.

O CPOL/2017 é regulado pela Tabela de Cursos da Aeronáutica - "Cursos e Estágios do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) para o ano de 2017”.


Fonte: Site da Força Aérea Brasileira (FAB) - http://www.fab.mil.br

Comentário: Bom, e qual é o real horizonte de eventos para essa qualificação??? Fica a pergunta. Uma vez mais agradecemos ao leitor Jahyr Jesus Brito pelo envio dessa notícia.

1ª Sessão Temática Sobre Sensoriamento Remoto de Aplicações em Defesa

Olá leitor!

Segue abaixo uma nota postada ontem (24/05) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB) destacando que com o objetivo de identificar competências e potenciais parceiros no cenário nacional, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) promoverá no dia 29 de maio, na cidade de Santos (SP), uma Sessão Temática sobre Sensoriamento Remoto de Aplicações em Defesa.

Duda Falcão

1ª Sessão Temática Sobre Sensoriamento Remoto de Aplicações em Defesa

Coordenação de Comunicação Social – CCS
24/05/2017


Com o objetivo de identificar competências e potenciais parceiros no cenário nacional, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) promoverá no dia 29 de maio, das 8h30 às 10h40, na cidade de Santos (SP), a sessão temática sobre Sensoriamento Remoto de Aplicações em Defesa.

O evento faz parte da programação do XVIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto (SBSR), encontro que possui grande impacto na comunidade científica nacional e é considerado o maior da área no Brasil e América Latina, na esfera civil. A condução da sessão ficará sob responsabilidade do Instituto de Estudos Avançados (IEAv).

Na Sessão serão tratados temas de P&D em SR alinhados com a Estratégia Nacional de Defesa (END) e com as diretrizes do Comando da Aeronáutica (COMAER) e do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (Pese). Também será possível conhecer o Programa de Pós-Graduação de Ciências e Tecnologias Espaciais (PG-CTE) do IEAv-ITA, que recebe mestrandos e doutorandos pelo Programa de Pós-Graduação de Aplicações Operacionais (PPGAO). O Estágio Básico de Sensoriamento Remoto é oferecido regularmente a militares (oficiais e graduados) das FFAA; e informações sobre o avanço tecnológico e os desafios para o SR no âmbito do COMAER e da Defesa.

Após participar do VII Simpósio de Sensoriamento Remoto de Aplicações em Defesa — encontro que acontece bienalmente no IEAv — em 2016, a comissão organizadora do SBSR compreendeu a importância de atuar de modo interdependente com as ações de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e linha de pesquisa em Sensoriamento Remoto (SR), aceitando a proposta da sessão temática para integrar o simpósio.

Mais informações sobre o Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, clique aqui.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Rede de Bibliotecas do MCTIC Realiza Seminário Sobre Produção Científica e Pesquisa Espacial no INPE

Olá leitor!

Segue abaixo nota postada ontem (24/05) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que o instituto está promovendo hoje (25) um Seminário Sobre Produção Científica e Pesquisa Espacial no INPE.

Duda Falcão

Rede de Bibliotecas do MCTIC Realiza
Seminário Sobre Produção Científica
e Pesquisa Espacial no INPE

Quarta-feira, 24 de Maio de 2017

Nesta quinta-feira (25/5), a partir das 8h30, a Rede de Bibliotecas das Unidades de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) realiza o seminário “A Produção Científica em Foco”. Aberto a todos os interessados, o evento será no auditório do prédio Lambda (térreo) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos.

A programação se estende por todo o dia, sendo que pela manhã serão discutidos temas em torno da preservação da produção científica e extração de indicadores. No período da tarde, a sessão será sobre a ciência da informação e a pesquisa espacial.

Com a participação do secretário-executivo adjunto do MCTIC, Alfonso Orlandi Neto, e do diretor do INPE, Ricardo Galvão, o seminário terá apresentações de gestores e especialistas do próprio instituto, do ministério e do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).



Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Associação COBRUF Anuncia Projeto Conceitual Preliminar da COBRUF ROVERS

Olá leitor!

Dando prosseguimento com o grande trabalho que vem realizando, a Associação COBRUF anunciou no final da noite de ontem (24/05) em sua página oficial no Facebook o projeto conceitual preliminar da primeira competição brasileira universitária de rovers de exploração planetária , ou seja, a COBRUF ROVERS. Veja abaixo.

Duda Falcão

COBRUF ROVERS - Competição
Brasileira Universitária de Rovers


A Associação COBRUF orgulhosamente anuncia o projeto conceitual preliminar da primeira competição universitária de rovers de exploração planetária do Brasil: a COBRUF ROVERS!

Interessados em participar da viabilização desta pioneira competição podem se candidatar à equipe interna da COBRUF pelo seguinte


Curta a página COBRUF no Facebook se você apoia esta iniciativa!


Mais sobre o cronograma de desenvolvimento da COBRUF ROVERS em https://goo.gl/cu3ugZ


Fonte: Associação COBRUF

Atualizando Nossas Campanhas

Olá leitor!

Mais uma quinta-feira  do mês de maio e sendo assim é dia de atualizar você sobre as nossas campanhas em curso.

Bom leitor quanto à “Campanha para Regulamentação das Atividades de Grupos Amadores”, até agora 16 grupos já se inscreveram. São eles Auriflama FoguetesBANDEIRANTE Foguetes EducativosCEFABCEFEC, Grupo Carl Sagan, Grupo CEPAGrupo GREAVE, Grupo de Desenvolvimento Aeroespacial (GDAe) da UFC, Grupo Pionners,  Grupo Supernova Rocketry, Infinitude FoguetismoITA Rocket Design, NTA,, PEUE (Pesquisas Espaciais Universo Expansivo), Projeto Jupiter  e UFABC Rocket Design. Vamos lá gente, cadê os grupos amadores desse país, vocês não querem se organizar? (OBS: Continuo esperando que os 13 grupos inscritos respondam se há algum entre vocês que tem o interesse de organizar e sediar um ‘Seminário’ para discutirmos as atividades de espaçomodelismo no Brasil?)

Já quanto á “Campanha de Manutenção do Blog”, até o momento apenas quatro colaboradores realizaram as suas contribuição no mês de abril no vakinha.com.br. Eles foram:

1 - Brehme Dnapoli Reis de Mesquita (IFMA)
2 - Carlos Cássio Oliveira (presidente do CEFAB)
3 - Leo Nivaldo Sandoli
4 - Mariana Fraga

OBS: informo aos leitores que ainda não sabem que  a campanha de manutenção do Blog pode ser acessada pelo link: http://www.vakinha.com.br/vaquinha/manutencao-do-blog-brazilian-space.

Enfim... vamos continuar aguardando que a partir da próxima semana haja uma mudança de postura de nossos leitores com as nossas campanhas, para que assim possamos efetivamente continuar contribuindo com o Programa Espacial Brasileiro, e quem sabe, com a permanência do blog online ou a criação do Portal Espacial que é hoje o nosso principal objetivo.

Duda Falcão

quarta-feira, 24 de maio de 2017

A Missão Amazônia em Tempo de Caos Político

Olá leitor!

A Sociedade Brasileira presencia neste momento o andamento talvez da maior crise política da história do país que, pode não só levar a queda do Governo TEMER, bem como talvez a uma intervenção militar, pelo menos até que se possa estabelecer novas eleições. E tudo isso resultado da falta de Cidadania e do Egocentrismo estupido instalado na própria Sociedade que nos levou a formação durante décadas sucessivas de maus brasileiros, resultando neste desastre político, ético e moral e da total perda da identidade brasileira, isto é, se é que já tivemos consolidada esta identidade em algum momento de nossa história.

Concepção artística do
Satélite Amazônia-1
Foi neste clima de incertezas e de total caos político e de identidade que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) divulgou pouco antes do ‘circo pegar fogo’ a sua intenção de lançar em 2018 no espaço o primeiro dos três planejados satélites da Missão Amazônia, ou seja, o Satélite Amazônia-1.

Para quem não sabe, o Projeto do Satélite Amazônia-1 é hoje (após o enterro do Projeto do VLS-1) a maior novela do Programa Espacial Brasileiro (PEB) e remota a criação da antiga Missão Espacial Completa Brasileira (MECB) no inicio dos anos 80, quando então era denominado de Satélite de Sensoriamento Remoto-1 (SSR-1) e fazia parte dos planos iniciais desta missão que consistia na criação de um Centro Lançador de Satélites ( meta alcançada com a criação do CLA) , com o desenvolvimento de dois Satélites de Coletas de Dados , os SCDs (meta alcançada com o desenvolvimento e lançamento dos SCD-1 e 2 e ultrapassada com o desenvolvimento do SCD-2A), com o desenvolvimento de dois Satélites de Sensoriamento Remoto, os SSRs (meta jamais alcançada) e o desenvolvimento de um veiculo lançador de satélites (meta jamais finalizada e que terminou melancolicamente em um desastre que ceifou a vida de 21 técnicos do programa) e que acabou sendo dissolvida em algum  momento após a criação da  Agencia Espacial Brasileira (AEB) em 1994.

É claro que com o passar dos anos o projeto deste Satélite de Observação Terrestre sofreu diversas modificações desde a sua proposta inicial, quando era então chamado de SSR-1, e (creio eu) no inicio da primeira década deste século seu desenvolvimento foi atrelado ao desenvolvimento do projeto da Plataforma Multimissão (PMM) também do INPE, projeto este que consistia no desenvolvimento de um módulo de serviço (plataforma) capaz de suportar, em uma única estrutura, todos os equipamentos necessários à sobrevivência e à operação de satélites no espaço.

Entretanto por diversas questões de ordem tecnológica, de falta de compromisso político, de falta de recursos liberados no prazo, legislação inadequada e creio eu de restrições impostas por regras internacionais, o projeto da PMM atrasou mais de uma década, e assim o projeto do primeiro satélite desta Missão (agora segundo o INPE composta também por dois outros satélites, o Amazônia-1B e o Amazônia-2) é anunciado pelo instituto com previsão de lançamento em 2018.

Diferentemente deste trambolho francês lançado ao espaço recentemente com o título vergonhoso e fantasioso de satélite brasileiro, o Satélite Amazônia-1, apesar de não ter sido integralmente desenvolvido no Brasil (já que alguns de seus equipamentos foram adquiridos no exterior, resultado da globalização) teve toda a sua engenharia, bem como vários de seus equipamentos produzidos no Brasil, ajudando assim no desenvolvimento e solidificação do conhecimento de nossas indústrias nessa área de Satélites de Observação Terrestres de porte médio.

Segundo o que foi divulgado pelo INPE, a Missão Amazônia (como um todo) terá como objetivo fornecer dados (imagens) de sensoriamento remoto para observar e monitorar o desmatamento no país e especialmente na Região Amazônica e, também, a diversificada agricultura em todo o território nacional com uma alta taxa de revisita, buscando atuar em sinergia com os programas ambientais existentes, ou seja, em outras palavras, prover o Brasil de valiosas informações nessas áreas.

Blog BRAZILIAN SPACE ficará na torcida para que o objetivo do INPE de lançar este satélite em 2018, seja realmente alcançado, porém se em situação normal isso já não seria nada fácil, que dirá nesse clima de caos político que o país enfrenta.

Para maiores informações sobre a Missão Amazônia visite o site da mesma pelo link: http://www.inpe.br/amazonia-1/

Duda Falcão

Associação COBRUF Anuncia Projeto Conceitual Preliminar da COBRUF DRONES

Olá leitor!

Prosseguindo com o grande trabalho que vem realizando, a Associação COBRUF anunciou no dia 21/05 em sua página oficial no Facebook o projeto conceitual preliminar da primeira competição brasileira universitária de drones de exploração planetária , ou seja, a COBRUF DRONES. Veja abaixo.

Duda Falcão

COBRUF DRONES - Competição
Brasileira Universitária de Drones


A Associação COBRUF orgulhosamente anuncia o projeto conceitual preliminar da primeira competição brasileira universitária de drones de exploração planetária: a COBRUF DRONES!

Interessados em participar da viabilização desta pioneira competição podem se candidatar à equipe interna da COBRUF pelo seguinte


Curta a página COBRUF no Facebook se você apoia esta iniciativa!


Mais sobre o cronograma de desenvolvimento da Cobruf DRONES em https://goo.gl/cu3ugZ


Fonte: Associação COBRUF

terça-feira, 23 de maio de 2017

O "II Universo IFMA" Contará Com a Participação do Eng. Lucas Fonseca da Missão Lunar Garatéa-L

Olá leitor!

De 29/05 a 01/06 será realizado no Campus Imperatriz do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) a segunda edição do evento “Universo IFMA” que tem como proposta  incentivar ideias inovadoras, pesquisa aplicada e empreendedorismo por meio de competições e exposições científicas.


A edição deste ano será especial, pois além do jovem Prof. Brehme de Mesquita ser um dos palestrantes com o seu projeto de incentivo a educação tecnológica espacial por meio de CanSats, o evento também contará com a participação do Eng. Lucas Fonseca que irá ao Maranhão para ministrar uma palestra tendo como tema a fantástica missão lunar brasileira Garatea-L.

Segundo informação colhida pelo Blog junto ao jovem Prof. Brehme de Mesquita, o seu grupo de alunos vem trabalhando em dois projetos, ou seja, o de um mini-foguete e o outro de um CanSat, ambos os projetos tendo como objetivo central trazer a educação tecnológica espacial ao ensino básico por meio dessas tecnologias acessíveis.

“No projeto do foguete, eu adquiri um kit da Bandeirante que nos servirá como tecnologia-modelo, mas a ideia é desenvolvermos toda a estrutura do foguete com impressão 3D e construir nosso próprio sistema eletrônico para analisar variáveis de voo. Já o projeto do CanSat, tem a mesma ideia da utilização de impressão 3D na estrutura do satélite, e usar Arduino e outros componentes eletrônicos para montar o computador de bordo do satélite e a missão deste”, complementa o professor do IFMA.

Ainda segundo o jovem professor do IFMA, a ideia de trazer o Eng. Lucas Fonseca ao “II Universo IFMA”, teve como um dos objetivos tentar estabelecer um projeto conjunto com o Grupo ZENITH com o objetivo de lançar os CanSats construídos pelos alunos do IFMA em uma das edições do Projeto Garatea a partir de Alcântara.

O Blog BRAZILIAN SPACE ficara na torcida para que esse objetivo do Prof. Brehme possa ser alcançado, e também para que o Governo do Maranhão interfira positivamente junto ao Governo Federal para que não venha faltar apoio a esta iniciativa do IFMA.

Duda Falcão

INPE Promove Workshop de Tecnologia e Ciência da Informação em Astronomia

Olá leitor!

Segue abaixo nota postada hoje (23/05) no site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), destacando que o instituto promoverá nos dia 25 e 26/05 o Workshop de Tecnologia e Ciência da Informação em Astronomia (WTCIA).

Duda Falcão

INPE Promove Workshop de Tecnologia
e Ciência da Informação em Astronomia

Terça-feira, 23 de Maio de 2017

Nos dias 25 e 26 de maio, o Workshop de Tecnologia e Ciência da Informação em Astronomia (WTCIA) será realizado no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP).

Pesquisadores, especialistas e estudantes discutirão soluções, avanços e desafios científicos e tecnológicos que envolvam diretamente a geração, manipulação e distribuição da informação digital nas diversas áreas da astronomia nacional.

Os principais temas discutidos no WTCIA serão: Big Data & Data Science, Data Center Network, High Performance Computing, Cloud Computing, Machine & Deep Learning Resources.

Além de traçar um panorama das ferramentas e tecnologias disponíveis ou já adotadas pela astronomia, astrofísica e cosmologia nacionais, os participantes abordarão infraestruturas e recursos relacionados a instrumentos e missões espaciais.

Mais informações: http://www.lac.inpe.br/wtcia2017


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)