terça-feira, 23 de maio de 2017

Bastidores do PEB Entram em Polvorosa

Olá leitor!

Pois é, é isso mesmo leitor, nos últimos dias os bastidores do nosso “Patinho Feio” entrou em polvorosa. Como já não bastasse as grandes duvidas quanto aos acordos em negociação pelo Brasil para o uso comercial da Base de Alcântara por nações estrangeiras, e as inverdades vendidas por esses vermes a Sociedade Brasileira sobre esse desastroso Projeto SGDC, novas informações ainda incompletas e incertas dão conta de que o PEB poderá ser integralmente militarizado com o fim da AEB, do PNAE e ‘pasmem’, até mesmo das atividades espaciais dentro do atual Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).

Para tanto fala-se na imediata implementação do PESE pelo COMAER, bem como na criação da tal empresa ALADA que ficaria responsável pelas atividades espaciais do país.

Ora leitor, será verdade mesmo??? Bom por enquanto são ainda informações incertas, mas já há uma movimentação dos profissionais do setor, especialmente dentro da AEB (que seria degolada nessa quadro)  para lutar contra essa suposta nova iniciativa do Governo TEMER. Vamos aguardar os acontecimentos.

Duda Falcão

3 comentários:

  1. Militarização do PEB? Isso é trágico. Mesmo com a competência de diversos colegas militares que eu conheci no INPE, acredito não ser a saída fecharmos mais ainda, dessa forma, o nosso programa espacial.
    Duda, você como conhecedor mais experiente do ramo, o que achas dessa possibilidade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Brehme!

      Ainda não sei jovem amigo, será preciso primeiro confirmar esta informação e conhecer melhor a extensão dela para poder emitir uma opinião mais embasada, mas conhecendo quem está por trás disso, é no minimo preocupante Brehme.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Não há outra saída para a área espacial brasileira que promover forte mudança de rumos. A estrutura atual é altamente ineficiente. Temos uma Agência Espacial Brasileira que está adstrita ao que ocorre na prática e funciona como se fosse um braço avançado do INPE e do DCTA em Brasília para contatos políticos. Não faz o menor sentido a AEB permanecer em Brasília, pois para o PEB não vale nada. E não é nem por incompetência das pessoas, pois lá tem muita gente séria e qualificada, mas é porque não é aceita, principalmente, pelo INPE e também pelos civís do DCTA, que também vivem em rusgas com os militares, O INPE tem uma estrutura enorme, com duas ou três facções internas que ficam digladiando pelo poder e perdendo competência, porque não produzem o que o Brasil precisa. é muito desperdício humano e técnico. Ou implode-se a estrutura atual, o que precisaria de apoio do congresso nacional, ou monta-se uma estrutura paralela e vai-se deixando o INPE se acabar naturalmente até desaparecer. Outra opção seria o INPE e o DCTA (pesquisadores civis) tomassem consciência de que terão um negro futuro a continuar o ritmo de hoje, e buscassem reconstruir, via consenso, uma nova Agência Espacial Brasileira, com base em São José dos Campos e voltada para cumprir, exclusivamente, a sua missão institucional, deixando a politicagem de lado. É o que penso e não é a primeira vez que expresso essa opinião aqui.

    ResponderExcluir