terça-feira, 6 de junho de 2017

Alcântara e Pós-Verdade

Olá leitor!

Segue abaixo um artigo escrito pelo Deputado José Reinaldo postado hoje (06/06) no “Blog do Robert Lobato”. Leia com atenção leitor.

Duda Falcão

Alcântara e Pós-Verdade

Por José Reinaldo
Blog do Robert Lobato
06 de junho de 2017

Deputado José Reinaldo
Transformar o Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) em Centro Espacial de Alcântara (CEA) é projeto do maior interesse para o Brasil e para o Maranhão. Para isso, só precisamos resolver as pendências fundiárias com os quilombolas e assinar o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) com os EUA. Resolvido esses dois assuntos o CLA vira CEA e se torna um dos mais importantes componentes do Programa Espacial Brasileiro e um dos mais importantes centros de lançamentos de artefatos espaciais do mundo pela economia dos custos de lançamento, de seguros, coisa de milhões de dólares a cada lançamento.

Tudo sob o comando firme da Aeronáutica e da Agência Espacial Brasileira. Muitos países e empresas trarão para cá seus técnicos, laboratórios e muita tecnologia desenvolvida em anos de muito esforço, de muita dedicação e de muito dinheiro investido. O Maranhão terá uma oportunidade enorme de desenvolvimento e a vinda do ITA para cá em parceria com a UFMA formando pessoal técnico altamente qualificado permitirá que o Maranhão faça parte de tudo isso.

A Advocacia Geral da União depois de muito trabalho, que envolveu vários ministérios e muito diálogo com os quilombolas, já encaminhou a presidência suas conclusões que podem levar a completa solução do problema acrescentando 12.600 hectares ao Centro, área que faz parte do Decreto de Utilidade Pública, mas que não podia ser usada por causa dos litígios que existiam. Com essa área poderão ser criadas mais alguns sítios de lançamento que serão usados por vários países e diversas empresas para lançamentos de foguetes e satélites. O uso do Centro será oneroso e esses recursos irão ajudar a financiar o programa espacial brasileiro e o desenvolvimento da tecnologia brasileira, tão carente de recursos para o seu desenvolvimento.

Assim, o CEA passa a ser a parte mais importante do Programa Espacial Brasileiro, finalmente, e para cá virão muitos investimentos e muitas pesquisas importantes.

Tão importante quanto a solução das pendencias fundiárias é a assinatura do AST com os EUA. Por que é tão importante esse acordo? Porque todos os países do mundo usam em seus artefatos espaciais algum componente americano e sem isso nada poderá ser lançado por Alcântara.

O acordo só tem essa finalidade: garantir que a tecnologia espacial pertencente a outros países seja protegida e nada mais. Mas, nós sabemos o que a ideologia de alguns causou de prejuízo ao Brasil e ao CLA. Perdemos anos e anos preciosos e o acordo com a Ucrânia nos custou 500 milhões de dólares em dez anos perdidos sem fazer nenhum lançamento por falta do AST com os EUA, porque tinha tecnologia americana nos foguetes ucranianos.

Mas, foi só o ministro da Defesa anunciar que o AST com os EUA seria assinado para blogs ideológicos colocassem as garras de fora e anunciassem que o governo iria entregar Alcântara para os americanos. As mentiras de sempre. Mas, que conseguiram paralisar o programa brasileiro por tanto tempo. Não há programa governamental que traga mais benefícios a população do que o programa espacial.

Para o Maranhão então, com essa pobreza toda, o acesso à banda larga em qualquer ponto do nosso território levará benefícios muito importantes em todas as áreas desde os serviços públicos até a atividade privada.

Nessa época de pós verdades em que o vale tudo impera e a verdade não é importante e mentir acaba sendo válido não importando o mal que causam, coisas assim são muito perigosas.

Sim, porque o acordo nada tem a ver com território, com ceder a base para ninguém. Isso é apenas pós verdade.


Fonte: Blog do Robert Lobato -  http://robertlobato.com

Comentário: Primeiramente Dep. José Reinaldo gostaria lhe de dizer que (já que o Blog BRAZILIAN SPACE é um dos mais lidos pelos profissionais e amantes do tema) em momento algum dissemos que éramos contra acordo nenhum, isto é, desde que ele seja feito por gente que entenda do assunto, que não tenha nenhuma conotação política e sim técnica, que não envolva nenhuma espécie de maracutáia, que seja financeiramente e tecnologicamente favorável ao Brasil e que em hipótese nenhuma envolva perda de soberania. Se assim for terá todo o nosso apoio. O problema aqui é que fica difícil de se acreditar que o grupo político formado em torno desse assunto conduza essas negociações dentro desses parâmetros, portanto é natural que se haja uma resistência contra. Afinal exemplos não faltam a começar pelo acordo com a Ucrânia que foi apoiado (sob protesto da própria comunidade espacial que vocês nunca deram ouvidos)  por esse presidente de merda que esta poder, fora outras decisões estapafúrdias de governos anteriores que conduziram o programa a esta atual situação de total caos. Outra coisa, resolver o acordo com os EUA sobre o CLA e transformar a área em torno do Centro no CEA, por si só não tornará isto um dos mais importantes componentes do Programa Espacial Brasileiro, vai depender muito de como o programa for conduzido. Onde o senhor esta com a cabeça, ou esta tentando vender fantasias para a nossa ignorante sociedade??? Gente é preciso lembrar que se o PEB está nessa situação é por causa desses MERDAS, VERMES SANGUE SUGAS, que nunca se mexeram (apesar dos apelos dos profissionais do setor por décadas) para dar um rumo ao programa e criar as condições logísticas, financeiras, políticas e de infraestrutura física e humana para que o mesmo pudesse se desenvolver. Sempre as decisões do setor foram pautadas por questões políticas como no caso da mal engenhada ACS (um desastre pré-anunciado e jamais levado a sério pelas empresas do mercado) e deste satélite trambolho francês, entre outros. O resultado tá aí e agora este deputado me vem com essa de mocinho pedindo que a comunidade confiem neles. Ora, faça-me uma garapa Deputado José Reinaldo, vá catar coquinho. Aproveito para agradecer ao leitor maranhense Edvaldo Coqueiro pelo envio deste artigo.

7 comentários:

  1. Esta turma do governo atual não vai resolver nada, porque seus componentes não sabem se legislam, se governam ou se correm da Polícia Federal. As instituições que compõem a estrutura que planeja, coordena e executa o Programa Espacial Brasileiro não tem autonomia para nada, porque o PEB nunca foi elevado a um programa de Estado e sempre esteve sujeito ao humor dos governantes que, via-de-regra, desde 1992, quando foi criada a AEB, estão atolados nos mais bizarros escândalos de corrupção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bernardino!

      Só um detalhe histórico amigo, na realidade a AEB foi fundada em 1994.

      Abs

      Duda Falcão
      (Blog Brazilian Space)

      Excluir
  2. Parabenizo sua opinião. nobre Bernadino!Concordo com gênero, numero e grau.

    ResponderExcluir
  3. Isso,isso,isso.isso mesmo professor!

    ResponderExcluir
  4. Deputado José Reinaldo, vender fantasias é muito fácil, como por si só o Centro de Lançamento de Alcântara fosse salvar o Programa Espacial Brasileiro. Se querem confiança, que criassem uma comissão espacial brasileira com apenas profissionais do ramo, cientistas e tecnologistas da área para conduzir as negociações da tal transformação do CLA em Centro Espacial de Alcântara. Palavras são muito bonitas, mas estas preenchem um documento oficial do governo aos projetos espaciais que nunca foi seguido com responsabilidade, muito menos como prioridade de Estado. A população já perdeu a confiança em político brasileiro, ainda mais nesses que utilizam as mesmas ladainhas de sempre. Todo apoio ao CLA (ou CEA), desde que haja soberania nacional na condução dos recursos obtidos e que estes sejam 100% convertidos ao PEB porque se esse dinheiro chegar a Brasília, nunca veremos a cor.

    ResponderExcluir
  5. Destaco um trecho dessa baboseira: "O uso do Centro será oneroso e esses recursos irão ajudar a financiar o programa espacial brasileiro e o desenvolvimento da tecnologia brasileira, tão carente de recursos para o seu desenvolvimento".

    Tão carente de recursos? Ora, deputado, o que falta é vergonha na cara dessa classe política corrupta para fazer as coisas acontecerem. Não há sequer um projeto de nação por aqui. E dinheiro há sim, e muito - somente as cifras roubadas do erário que lemos diariamente nos jornais já dão uma ideia de como nosso programa espacial já deveria estar avançado. Sem essa desculpa esfarrapada, deputado! Esse acordo é uma humilhação ao povo brasileiro, em especial a todos aqueles que deram seu suor ou até mesmo pagaram com suas vidas por esse malfadado programa espacial. É inacreditável até onde vai a destruição do País por "vossas excelências".

    ResponderExcluir
  6. Sem dúvida.A começar pelos 21 técnicos que faleceram naquele fatídico acidente.Todos eles poderiam estar ganhando mais dinheiro noutro lugar e ali estavam trabalhando por idealismo.

    ResponderExcluir