quarta-feira, 16 de agosto de 2017

INPE Participa de Cruzeiro Científico na Costa Amazônica

Caro leitor!

Segue agora abaixo leitor uma notícia postada hoje (16/08) no site oficial do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destacando que instituto participa de Cruzeiro Científico na Costa Amazônica.

Duda Falcão

INPE Participa de Cruzeiro
Científico na Costa Amazônica

Quarta-feira, 16 de Agosto de 2017

Dados geofísicos, físico-químicos, biológicos e radiométricos sobre a região do recém-descrito sistema recifal da Foz do Amazonas foram obtidos pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e outras instituições brasileiras (UFRJ, UFES, UNIFESP, UFRRJ, INPE e JBRJ), em parceria com o Woods Hole Ocenographic Institution (EUA).

Concluído na semana passada, o cruzeiro completou 15 dias de atividades a bordo do navio oceanográfico Alucia, que percorreu mais de quatro mil quilômetros pela margem equatorial brasileira, entre o Amapá e o Maranhão.

"O mapeamento e a caracterização oceanográfica da costa amazônica são fundamentais para o gerenciamento ambiental e dos recursos marinhos. Ter a oportunidade de coletar dados in-situ para a validação de produtos de sensoriamento remoto é muito relevante”, declara Milton Kampel, pesquisador do INPE.

Durante a expedição, foram realizadas mais de 20 horas de observações a bordo de dois submersíveis, em profundidades de até 400 metros.

Dentre os principais resultados desse esforço está a caracterização de vales e cânions ainda não mapeados, registros de esponjas e peixes até então desconhecidos na região, estudos do plâncton associado à mistura das águas do mar e do maior rio do planeta, imageamento das bioconstruções carbonáticas e algas calcáreas, e caracterização bio-óptica da região.

As atividades foram complementadas por imagens de satélites enviadas pelo INPE e recebidas no navio em tempo real. Os resultados, ainda inéditos, fornecerão um panorama detalhado sobre a estrutura dos recifes e das comunidades biológicas a eles associadas.

De acordo com Rodrigo Moura, professor da UFRJ e coordenador da expedição, “os dados obtidos alteram significativamente a visão que tínhamos sobre a Margem Equatorial e trarão elementos importantes para subsidiar medidas para sua conservação e manejo”.

Submersível pronto para o mergulho.
Resgate noturno de submersível.
Coleta de água na pluma do Amazonas.
Navio Alucia na foz do Amazonas.
Análises biológicas e físico-químicas a bordo do navio.


Fonte: Site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário