sábado, 21 de outubro de 2017

AEB Participa da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2017

Olá leitor!

Segue abaixo a nota postada ontem (20/10) no site da Agência Espacial Brasileira (AEB), destacando que a agência irá participar da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2017.

Duda Falcão

AEB Participa da 14ª Semana Nacional
de Ciência e Tecnologia 2017

Coordenação de Comunicação Social – CCS
20/10/2017


A Agência Espacial Brasileira (AEB) participa, a partir de segunda-feira (23.10), da 14ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2017 (SNCT). O público que visitar a mostra científica, instalada no pavilhão do Parque da Cidade de Brasília, vai conhecer os projetos do Programa Espacial Brasileiro em dois estandes: o institucional e o espaço da AEB na Rede Ciência.  O primeiro vai expor maquetes de satélites e foguetes brasileiros, e o segundo realizará palestras e oficinas com a temática espacial.

A escolha do tema “A Matemática está em tudo” deve-se ao fato de o Brasil sediar, pela primeira vez, dois grandes eventos: a Olimpíada Internacional de Matemática, uma competição com os melhores estudantes do mundo, e o Congresso Internacional de Matemáticos, que reúne pesquisadores de alto nível no país.

No espaço Institucional da AEB, o público vai conhecer os satélites que ajudaram a melhorar a área tecnológica do país, como o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), lançado ao espaço em maio deste ano. Lá também estará exposta a maquete do Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres (CBERS), o satélite de Observação da Terra, Amazônia – 1, o primeiro nanossatélite do Programa Sistema Espacial para Realização de Pesquisa e Experimentos com Nanossatélites (Serpens), além da exposição de réplicas de foguetes, como o Veículo Lançador de Microssatélite (VLM) e o Veículo de Sondagem Brasileiro (VSB-30).

Oficinas e Palestras

No estande da Rede Ciência, com atividades destinadas às crianças, serão oferecidas oficinas de montagem de carrinhos foguete e de construção e lançamento de foguetes feitos de garrafa pet. As duas atividades serão realizadas pela equipe da AEB em parceria com o Planetário de Brasília.

Durante toda a Semana, os técnicos da AEB irão ministrar palestras com diversos temas relacionados ao espaço. O engenheiro elétrico Pedro Nehme, vencedor da promoção mundial Space Flight, realizada pela empresa aérea holandesa KLM, fará uma exposição sobre Viagens Espaciais. Nehme abordará os treinamentos e preparativos feitos para a viagem suborbital que fará, levando experimentos científicos para serem testados no espaço.

As atividades espaciais desenvolvidas no Brasil e no mundo, Espaço para uma vida melhor e o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), assim como Veículos Espaciais, também serão temas de palestras que o público poderá assistir durante a Semana Nacional. Para acessar a programação da AEB clique em: Programação de palestras AEB

A AEB também distribuirá material, como dobraduras de satélites brasileiros e fôlderes institucional da Agência, além de disponibilizar o mock up, réplicas das roupas usadas pelo astronauta brasileiro Marcos Pontes em sua ida ao espaço.

Desde 2004, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia acontece anualmente, sempre no mês de outubro, sob a coordenação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O evento tem como objetivo aproximar a Ciência e a Tecnologia da população, criando uma linguagem acessível, por meio de palestras, oficinas e ideias inovadoras que estimulem a curiosidade e motivem a sociedade a discutir as implicações sociais da Ciência.

A SNCT acontece em todo o território nacional e todas as pessoas interessadas podem participar das atividades. Para conferir a programação completa em cada estado do país, clique aqui.


Fonte: Site da Agência Espacial Brasileira (AEB)

Comentário: Bom leitor, só um detalhe sobre este texto acima. A informação de que o trambolho francês, o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), teria ajudado a melhorar a área tecnológica do país, no que diz respeito ao próprio satélite (já que os sistemas de solo eu não tenho informações para afirmar) não passa de uma tremenda e deslavada MENTIRA. Não houve nenhuma transferência de tecnologia sequer de um simples parafuso deste satélite. As atividades dos técnicos brasileiros na França se limitaram a montagem e integração deste satélite e também a aprender como operacionaliza-lo através de cursos ministrados pela empresa que construiu o mesmo. Em outras palavras, para que fique bem claro, não houve leitor nenhuma atividade significativa de desenvolvimento que envolvesse técnicos brasileiros, sendo extremamente para mim como CIDADÃO BRASILEIRO vergonhoso observar a participação da FORÇA AÉREA BRASILEIRA nesta farsa passada para Sociedade Brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário