terça-feira, 3 de abril de 2018

Akaer Lança Câmera Para Nano Satélites Durante FIDAE 2018

Olá leitor!

Segue abaixo uma notícia postada ontem (02/04) no site do “defesanet,com”, destacando que a empresa brasileira Akaer lançará câmera para nanossatélites durante a FIDAE 2018.

Duda Falcão

COBERTURA ESPECIAL - FIDAE - TECNOLOGIA

Akaer Lança Câmera Para
Nano Satélites Durante FIDAE 2018

Solução pioneira no Brasil possui mais eficiência que as câmeras tradicionais

DefesaNet
02 de Abril, 2018 - 09:50 ( Brasília )


A Akaer, empresa brasileira reconhecida pela expertise em desenvolvimento de projetos de engenharia complexos, lança a câmera para nano satélites, durante a FIDAE 2018, que acontece de 3 a 8 de abril, em Santiago (Chile). O produto pioneiro no Brasil apresenta maior eficiência que as câmeras tradicionais e alta qualidade de imagem.

Desenvolvido com recursos da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), o projeto está em fase de elaboração dos primeiros protótipos e entra em fase de testes ainda este ano.

As câmeras da Akaer são mais eficientes que as tradicionais, por serem projetadas especificamente para serem instaladas em um nano satélite, atendendo a parâmetros de tamanho e peso, sem a necessidade de adaptações.

O equipamento terá capacidade para fazer imagens da superfície terrestre em alta definição, identificando objetos menores que 5 metros em até 7 bandas espectrais.  A flexibilidade de operação das câmeras é um importante diferencial, pois a arquitetura óptica pode ser escalada para diferentes plataformas de nano satélites.

Outra característica marcante é a possibilidade de operação em diferentes modos, desde o ajuste de foco, até a deconvolução (método computacional utilizado no processamento de imagem) e compressão dos dados de imagem, através de telecomandos da estação de controle no solo.

“As câmeras para nano satélites da Akaer são um grande avanço tecnológico. Esse é um dos projetos que estamos trabalhando para se destacar no mercado internacional como provedora de soluções de alta tecnologia”, conclui o presidente da Akaer, Cesar Augusto T. Andrade e Silva.

Sobre o Grupo Akaer

Fundada em 1992, a holding Akaer é considerada uma das mais importantes do país nas áreas em que atua, sendo composta pelas seguintes empresas: Akaer Engenharia: empresa de soluções tecnológicas integradas, com foco na prestação de serviços de Engenharia e Projeto para os diversos mercados em que a empresa atua; Troya: dedicada ao projeto, desenvolvimento e fabricação de ferramental, plataformas e automação; Akros: o braço industrial dedicado a integrar a industrialização e manufatura de produtos de alta tecnologia; Equatorial: responsável pelo desenvolvimento, projeto e integração de sistemas espaciais e carga útil para satélites; e Opto Space & Defense: voltada para o desenvolvimento, projeto e integração de tecnologias e produtos optrônicos.

Sediada dentro do Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP), a atual estrutura conta com 18.000 m2 de área construída, seis prédios e capacidade para cerca de dois mil funcionários, capaz de absorver uma industrialização avançada com foco na alta tecnologia. A Akaer também conta com a sede da Opto S&D, em São Carlos (SP). Uma infraestrutura moderna que a permite atuar em todo o ciclo de desenvolvimento, qualificação e fabricação de optrônicos para espaço e defesa.

A companhia participa de projetos estratégicos para o Brasil como o cargueiro KC-390, da Embraer, o caça Gripen NG da Saab, e as câmeras MUX e WFI para os satélites do programa CBERS.



Comentário: Pois é, tá ai uma boa notícia. Pelo que entendi esta Akaer é uma empresa genuinamente brasileira, ou seja, criada por brasileiros, com controle acionário brasileiro e sediada em território nacional e deveria ser considerada pelo governo como empresa de segurança nacional. Empresas como a Akaer deveria ter todo apoio governamental na busca pelo desenvolvimento de novas tecnologias de espaço e defesa, bem como ser monitorada pelos serviços de inteligência brasileiros. Caso diferente de empresas estrangeiras com sede no país (por exemplo, a AEL Sistemas) que são privilegiadas quando não deveriam ser recebendo recursos públicos brasileiros para desenvolver tecnologia em prol de suas Sociedades. Enfim... Creio que esta notícia seja do interesse dos grupos que desenvolvem nanossatélites no Brasil.

Um comentário:

  1. Pelo que sei a saab é dona de 25% das ações da Akaer, mas o estatuto da Akaer prevê que o limite de participação da Saab ou qualquer outra estrangeira na Akaer seja de até 40% dessas ações.
    Quanto a participação da Akaer nas câmeras MUX e WFI para os satélites do programa CBERS, acho que a notícia não tem fundamentos, salvo quem tenha melhor informação.

    ResponderExcluir