sexta-feira, 11 de maio de 2018

Brinquedo Educativo Desenvolvido na EESC/USP Permite Simular Lançamento de Veículos Aéreos

Olá leitor!

Segue abaixo uma interessante matéria postada dia (09/05) no site do “Jornal da USP”, destacando que Brinquedo Educativo desenvolvido pela Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP, permite simular lançamento de veículos aéreos.

Duda Falcão

CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA

Brinquedo Educativo Permite Simular
Lançamento de Veículos Aéreos

Simulador introduz noções sobre voo e aeronaves, além de
desenvolver capacidade de raciocínio e criatividade

Por Júlio Bernardes 
Editorias: Ciências Exatas e da Terra, Tecnologia
Jornal da USP
09/05/2018


Brinquedo educativo desenvolvido na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP permite projetar, construir, testar e avaliar um veículo aéreo em escala reduzida com apoio de recursos tecnológicos modernos. O brinquedo é um simulador de voo para crianças, jovens e adultos desenvolverem a capacidade de raciocínio e criatividade, bem como introduzi-los na mecânica do voo e no conhecimento das estruturas aeronáuticas. O projeto do sistema e método de propulsão e controle para plataformas de lançamento de veículos aéreos (PLAM) teve o pedido de patente protocolado pela Agência USP de Inovação (AUSPIN).

“Há uma carência no mercado para brinquedos tecnológicos educativos, que combinam o brinquedo tradicional com um aplicativo, uma tela ou outros elementos conectados, permitindo capacidades de interação e comunicação e aquisição de dados”, diz o professor Álvaro Martins Abdalla, idealizador do projeto. “Essa carência levou ao desenvolvimento do PLAM, que é um brinquedo inteligente com propósito educacional, orientado por um conceito chamado ‘Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática’ (STEM, na sigla em inglês)”.

O professor aponta que não existem brinquedos similares à disposição no mercado. “O que há atualmente são modelos de aeronaves de brinquedo que utilizam sistemas de atiradeiras manuais a elástico”, afirma. “Essas aeronaves são lançadas até uma certa altura, conforme a força e potência de lançamento, e retornam à terra em voo planado, em tempo ou distância de acordo com as características de projeto da aeronave. Esses brinquedos não têm cunho educativo”.

Peça lança-míssil – vertical.

Os componentes do PLAM são modelos em escala reduzida de bases e plataformas de lançamentos de aeronaves, porta-aviões, sistema de lançamento para aeronaves, foguetes e paraquedistas, além dos modelos de aeronaves, foguetes, mísseis e paraquedistas. “O PLAM é um brinquedo educativo que pode ser dividido em duas fases, Fase I e Fase II, conforme a idade do usuário”, explica Abdalla. “Na Fase I, pode ser brincado por crianças com no mínimo quatro anos de idade. Nesta fase a criança irá somente brincar lançando as aeronaves, foguetes ou paraquedistas, podendo também modificar a configuração das aeronaves trocando suas asas.”

Na Fase II, as crianças com idade acima de 13 anos, poderão projetar e modificar as aeronaves, fazê-las voar e analisar seus projetos. “O usuário poderá lançar aeronaves com proporções em escala ampliada e, dependendo da escala, poderão ser controladas remotamente em decolagem, manobras e pouso”, relata o professor. “O usuário poderá adquirir noções de mecânica de voo, projetar, modificar projetos e construir seus projetos de aeronaves e posteriormente executar os testes em voo, analisar, modificar ou otimizar o seu projeto.”

O pacote do simulador incluirá os materiais necessários para o projeto e montagem das aeronaves, assim como os dispositivos de lançamento necessários para proporcionar o voo das aeronaves; tutoriais, livreto e software dirigido aos projetos de aeronaves; mecânica de voo, análise, otimização de projeto e ensaio em voo, etc. “O simulador, além de ser um brinquedo, é uma ferramenta poderosa de ensino e educação que poderá ser utilizada em escolas básicas, técnicas e universidades”, destaca Abdalla. “O sistema poderá também ser utilizado para carros, trens e barcos.”

O pedido de patente do PLAM foi protocolado pela AUSPIN junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). “Quanto ao desenvolvimento do protótipo, atualmente está em construção um modelo em escala reduzida do lançador para a prova de conceito”, conclui o professor.

Mais informações: e-mail pfalvaro@sc.usp.br, com o professor Álvaro Martins Abdalla

Vista geral da plataforma tipo base aérea PLAM – básica.
Vista geral da plataforma tipo porta-aviões – básico.
Paraquedista – lançamento.


Fonte: Site do Jornal da USP de 09/05/2018 - http://jornal.usp.br

Comentário: Simplesmente fantástico e espero que realmente se concretize este projeto como um produto a ser comerciado. Vamos ficar na torcida e parabéns a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP e a Agência USP de Inovação (AUSPIN) pela iniciativa. Aproveitamos para agradecer a nossa leitora Mariana Amorim Fraga pelo envio desta notícia.

Um comentário:

  1. Parabéns ao Professor Abdalla pela ideia. Simplesmente genial!

    ResponderExcluir